MARTHA PAGY ESCRITÓRIO DE ARTE
artistas exposições quem somos notícias contato múltiplos projetos

> <
  • Série Cassarídeos Alúmen, 2018

  • Série Cassarídeos Alúmen, 2018

  • Cassarídeos Esferoformes Alúmen, 2018

  • Cassarídeo Tubuliforme Alúmen, 2018

  • Cassarídeo Tubuliforme Alúmen, 2018

  • Cassarídeo Tubuliforme Alúmen, 2018
    alumínio
    4x44x9 cm, 6,5x48x10 cm e 9,5x,61x15,5 cm - tríptico

  • Desenho Óptico, 2018
    fibra óptica
    tamanhos variados

  • Desenho Óptico, 2018
    fibra óptica
    tamanhos variados

  • Desenho Óptico, 2018
    fibra óptica
    tamanhos variados

  • Mulher Gata Recicloide, 2018
    alumínio
    25 cm x 20 cm x 30 cm - em caixa de acrílico

  • Desenho Mordido Carbono, 2012
    papel, carbono e mordidas
    23 x 31 cm - em caixa de acrílico

  • Desenho Mordido Iridescente 005, 2000
    papel, tinta acrílica iridescente e mordidas
    32 x 24 cm – sem moldura

  • *Levitação Cúbica Calder Azul, 2016
    Gaiola niquelada de três Cassarinhos azuis e três mini-ventiladores cromados
    40cm larg x 45cm alt x 20cm prof

    *Participou da exposição ‘Calder e a arte brasileira’, em 2016 - Instituto Itaú Cultural, São Paulo – Brasil.
    Curadoria de Luiz Camillo Osório.

FRANKLIN CASSARO
Vive e trabalha no Rio de Janeiro

Franklin Cassaro é um dos principais artistas surgidos na década de 90. A sua geração retomou o fio experimental tão característico da arte brasileira nos anos 60 e 70. Ele tomou a obra de Lygia Clark como um ponto de partida. Não é o único, mas o principal. Interessam, acima de tudo, os processos de formalização e não o objeto em si. A precariedade e a contenção irmanam-se. O gesto escultórico de Cassaro não se esconde na forma, ele é a própria forma, que se revira, se desfaz e se refaz continuamente. Os seus reviramentos, infláveis e performances, revelam uma forma-processo que não se deixa cristalizar, que não pára de germinar e inventar novos organismos poéticos, ao mesmo tempo estranhos e sensuais. Luiz Camillo Osorio, Março de 2006.